Aprenda a calcular o Custo dos Produtos Vendidos – CPV

Felix Schultz
Felix Schultz
cpv - custo dos produtos vendidos - gestao financeira

Custo do produto vendido, ou CPV, é um indicador que agrupa todos os custos relacionados à produção de um determinado produto.

Ele está presente no DRE e serve como base de cálculo para inúmeras outras análises administrativas e financeiras, auxiliando, inclusive, nas estratégias de marketing e promoção.

Quer saber mais sobre controle dos custos e como isso pode impactar na gestão da sua empresa? Leia o post: Contabilidade de Custos: Entenda o que é e como usar na sua empresa.

Conhecer o CPV dos seus produtos é de extrema importância para que você garanta a sustentabilidade do seu negócio.

Por isso, vamos apresentá-lo aos conceitos principais, como o que é CPV, CMV e CSV, como calcular o CPV, como usar o CPV para calcular o preço de venda ou aumentar o seu faturamento, além de cinco dicas e um bônus incrível!

O que é CPV

Custo do produto vendido, ou CPV, como podemos chamar, é um indicador que reúne todos os custos diretos de um determinado produto. Porém, estes custos só são apurados no momento da venda do produto.

Ou seja: produtos em estoque ou na linha de produção não têm seus custos contabilizados no CPV.

O custo do produto vendido é uma informação obrigatória no DRE, além de ser um indicador extremamente importante para a gestão da empresa. Você já consegue imaginar o motivo?

Para que serve o cálculo de CPV

Como mencionado, o CPV é uma informação legal, com apuração obrigatória no Demonstrativo de Resultados do Exercício.

Mas, além disso, é um indicador de extrema importância para uma gestão eficaz e efetiva.

Imagine que você é proprietário de uma pequena confeitaria, e durante a Páscoa você vendeu tantos ovos de chocolate que levantou um faturamento de R$ 6.000,00.

Se você olhar somente para esse número, R$ 6.000,00 não parece ruim para quem tem um negócio em casa e trabalha sozinho.

Na hora de cobrar seu ovo de Páscoa, você fez uma pesquisa de preço no mercado e resolveu cobrar 10% a menos do que seus concorrentes mais diretos – aquelas outras confeiteiras da sua cidade que têm um trabalho semelhante ao seu.

Isso deu a você um preço de venda de R$ 30,00 por ovo. Você não se deu conta de calcular os seus custos para decidir o preço de venda.

Se tivesse colocado essas informações no papel, incluindo sua mão de obra, embalagem, fita, cartão, você veria que para cada ovo você gasta R$ 27,00.

R$ 27,00 de custos diretos sobre a produção, fora os custos indiretos e difíceis de mensurar, como energia, água, etc. E nem estou contando, aqui no custo, o percentual de perda, que é tão comum acontecer na cozinha.

Ou seja: é bastante provável que você não só não tenha lucrado nada, como ainda tenha pagado para trabalhar.

É por isso que é tão importante conhecer o custo do seu produto vendido. Listar todos os custos diretos que são necessários para que a operação aconteça.

Só assim você poderá calcular corretamente o seu preço de venda, garantindo uma boa margem de lucro para sua empresa.

Diferenças entre CPV, CMV e CSV

Agora que você entendeu o que é CPV, vamos trazer outras duas siglas que são comuns de encontrar no DRE: CMV e CSV.

CPV é o custo do produto vendido, como você já viu. CMV é o custo da mercadoria vendida.

Opa, peraí: produto e mercadoria não são a mesma coisa?

No universo contábil, não.

Para a contabilidade e fins de apuração de DRE, produto é tudo que foi produzido pela empresa (como os ovos de Páscoa da nossa confeitaria exemplo). É quando a empresa pega uma matéria-prima e transforma em outro produto, que venderá em seguida.

Já mercadoria é aquele produto que uma empresa compra de outra empresa, a fim de revender. Se sua confeitaria fosse aberta ao público, como um café, você faria os seus bolos e doces, mas compraria refrigerantes de um distribuidor, por exemplo.

Os bolos e doces são produtos, mas o refrigerante é uma mercadoria. Deu pra entender a diferença?

O CSV é mais fácil de diferenciar. CSV é o custo dos serviços vendidos. Ainda no nosso exemplo da confeitaria, seria aquele curso para decorar bolos que você pode organizar durante um final de semana.

O custo dos serviços vendidos parecer mais difícil de calcular, já que um serviço é intangível. Mas existem gastos que incidem diretamente à venda de serviços, como mão de obra, subcontratações, locações, gastos indiretos, etc.

Você vai aprender a calcular o CPV, CMV e CSV mais à frente, neste artigo.

Quais despesas integram o custo dos produtos vendidos

Contadora fazendo cálculo de produto vendido - CPV em um notebook

Para calcular o CPV você precisa listar os custos diretos e indiretos que incidem na produção de determinado produto.

O CPV considera como variáveis de cálculo o saldo de produtos em estoque, os custos com a fabricação do produto, como matéria-prima e mão de obra, e outras despesas gerais, como depreciação de máquinas e equipamentos, mão de obra indireta, aluguel e energia.

Anteriormente falamos que os produtos em estoque não têm o seu custo do produto vendido apurado.

Isso porque o CPV é um dos indicadores utilizados para que a empresa possa apurar o lucro do período, e isso só será possível considerando as vendas realizadas.

Mas, então, por que o estoque aparece como variável para apuração do CPV?

Porque produto em estoque é dinheiro parado e, portanto, é um gasto da empresa.

Por isso é tão importante que você mantenha um nível de estoque controlado e organizado – caso contrário, o custo do seu produto vendido vai ser muito alto, e será difícil você fechar a conta no azul.

O que é preço de venda

Preço de venda é o que nome, mesmo, sugere: o preço pelo qual o seu produto foi vendido.

Lembra da nossa confeitaria exemplo? Nela, você definiu o preço de venda somente com base em pesquisa de mercado. Achou que se tivesse um valor menor que a concorrência, venderia mais e, portanto, teria melhores resultados.

Mas, ainda no exemplo, vimos que a lógica não funciona bem assim, não é mesmo?

O preço de venda precisa ser calculado com base em informações reais e precisas da sua empresa. Precisa levar em consideração os seus custos com matéria-prima. Os seus custos com mão de obra. Os seus fornecedores, seu estoque, seu processo.

Pesquisas de mercado podem e devem ser feitas. Mas jamais tome uma decisão baseado única e exclusivamente em informações externas.

Tenha o controle sobre suas contas. Será muito mais fácil de perceber as falhas, corrigindo-as em tempo e evitando uma linha final negativa no seu demonstrativo de resultados.

Custos

Para calcular o seu preço de venda, a primeira informação que você levantar é os custos de produção.

Custo é todo o gasto direto para a produção de um produto. Para saber se uma conta é custo ou despesa, se faça a seguinte pergunta:

Para eu aumentar a minha produção, preciso aumentar essa conta também?

Se a resposta for sim, ela é um custo.

Despesas

Já as despesas são aqueles gastos indiretos, que vão continuar acontecendo, você produza ou não.

É o caso, por exemplo, do pagamento de salários da equipe administrativa de uma empresa. Ou do aluguel da sua sala comercial.

Independente da sua produção, essas contas vão continuar caindo no seu colo e esperando serem pagas, a menos que você decida por cortá-las.

Lucro

Agora que você já tem definido e listado todos os seus custos e despesas, é hora de definir a margem de lucro que você deseja.

Sim, porque essa é uma decisão de gestão. Aqui, claro, você poderá levar em consideração os preços praticados no mercado. Uma margem de lucro muito grande poderá inviabilizar a comercialização do seu produto.

Procure um meio termo que seja confortável, que garanta alguma sustentabilidade da empresa e ainda fique dentro das faixas de valores aplicadas pelos seus concorrentes diretos.

Como definir o preço de um produto a partir do custo

Quando conhecemos o custo de um produto, podemos calcular o preço de venda de forma a garantir que o preço cubra o custo, e consigamos ter um lucro com a operação.

Existem pessoas, especialmente os profissionais liberais ou microempreendedores, que acreditam que levantar os custos fixos e apenas dobrar o valor já dá um preço de venda adequado.

Mas perceba que no CPV você precisa considerar mão de obra e custos indiretos. Isso significa que não basta calcular os custos diretos, como matéria-prima, e dobrar. Você precisa garantir o pagamento de todas as contas, incluindo o seu salário.

Quando você conhece seu custo de produção, pode definir uma margem de lucro que garanta alguma segurança e sustentabilidade ao negócio.

Aplique a margem de lucro sobre o seu custo de produção, lembrando de incluir, neste ponto, todas as despesas. Então, avalie o preço de venda está competitivo e aderente ao mercado de atuação.

É importante que você também encontre seu ponto de equilíbrio, para saber até quanto baixar o preço em caso de uma promoção relâmpago, por exemplo.

Muitas vezes, a estratégia de baixar o preço para queima de estoque é a melhor opção. Apesar de você zerar ou reduzir muito o seu lucro, você elimina um custo de ter produtos demais em estoque.

Assim, você pode achar que está deixando de ganhar, mas, na verdade, está reduzindo suas despesas.

Como calcular o custo do produto vendido – fórmula CPV

Contador fazendo cálculo do custo do produto vendido - CPV em uma calculadora e com uma planilha de dados.

O cálculo do CPV considera o estoque inicial e final, além dos custos diretos e indiretos que incidem sobre os produtos vendidos.

Hora da parte prática: você entendeu o que é e porque é tão importante conhecer o custo do produto vendido.

Agora, vamos aprender como calcular o CPV. A fórmula que é a base de cálculo é essa:

CPV = EI + (In + MO + GGF) – EF

Para facilitar a compreensão, vamos legendar essas siglas. Então:

  • CPV = custo do produto vendido
  • EI = estoque inicial
  • In = insumos (matéria-prima, embalagens, etc) consumidos nos produtos vendidos
  • MO = mão de obra aplicada aos produtos vendidos
  • GGF = gastos gerais de fabricação (energia, aluguel, depreciação de equipamentos) aplicados nos produtos vendidos
  • EF = estoque final

Vamos ao nosso exemplo da confeitaria.

Você vendeu 200 ovos de Páscoa, produzidos exclusivamente durante o período. Portanto, sem estoque inicial. Para a produção dos ovos, você gastou R$ 2.500,00 com chocolate, leite condensado, paçoca, balas de goma e outros ingredientes.

Como você trabalha sozinho, você definiu que sua mão de obra por ovo deveria ser R$ 12,50. Portanto, você gastou R$ 2.500,00 de mão de obra.

Para apuração de outros custos, como você trabalha em casa e fica difícil mensurar o que exatamente foi gasto para cada ovo, podemos estabelecer que os gastos gerais serão de 10% sobre a soma das outras despesas (R$ 500,00).

Assim, temos a seguinte fórmula:

CPV = 0 + (2.500 + 2.500 + 500) – 0

CPV = R$ 5.500,00

Note que, no cálculo, consideramos os valores totais. Para descobrir o custo do produto vendido, de forma individual, basta dividirmos o total pelo número de ovos vendidos (200). Assim, temos:

CPV = R$ 27,50

Então, o custo do seu produto vendido foi de R$ 27,50. Use essa informação para calcular o seu preço de venda e garantir que sua confeitaria tenha lucro.

Agora, vamos aprender a calcular o CMV, ou custo da mercadoria vendida.

Se você tem um atacado, compra mercadorias de outros fornecedores para revender. Portanto, custos de produção não fazem sentido nessa conta, já que não existem.

Assim, a fórmula para calcular o CMV é:

CMV = EI + C – EF

Sendo que:

  • CMV = custo da mercadoria vendida
  • EI = estoque inicial
  • C = compras realizadas no período
  • EF = estoque final

Digamos que você tenha R$ 400,00 em fardos de refrigerante no seu estoque. Você decide comprar mais R$ 1.000,00 em outros fardos, e ao final do período você tem em estoque R$ 200,00 em refrigerante. A conta será essa:

CMV = 400 + 1.000 – 200

CMV = 1.200,00

O custo da sua mercadoria vendida no período foi de R$ 1.200,00.

Você pode saber mais sobre como calcular CMV lendo este artigo: Custo das mercadorias vendidas – Como calcular.

Como calcular o preço de venda de um serviço

Para calcular o CSV, ou o custo do serviço vendido, você deve considerar a fórmula abaixo:

CSV = Sin + (MO + GDS + GIS) – Sfi

Sendo:

  • CSV = custo do serviço vendido
  • Sin = saldo inicial dos serviços em andamento
  • MO = mão de obra relacionada ao serviço prestado/vendido
  • GDS = gastos diretos (locação de equipamentos, subcontratos, etc)
  • GIS = gastos indiretos (mão de obra indireta, depreciação, energia, etc)
  • Sfi = saldo final dos serviços em andamento

O saldo inicial e o final dos serviços substitui o que seria o estoque no CPV. Isso se refere aos serviços que já estavam em andamento no momento do cálculo do custo de serviço vendido.

Como calcular o CPV no custeio por absorção

Custeio por absorção é um método de custeio que os produtos absorvem todo os custos do processo de fabricação, ainda que não sejam diretamente relacionados ao produto em si.

Todo o custo do período é dividido pelos produtos fabricados, como uma espécie de rateio. Pode-se usar critérios para esse rateio. Você pode saber mais sobre o assunto no nosso post: Custeio por Absorção: Entenda os custos da produção.

Para fazer a apuração o custo do produto vendido com base no custeio por absorção, você precisará considerar como variável os custos fixos, distribuindo estes custos entre os produtos fabricados e vendidos no período.

Como ajustar preço e faturamento a partir do CPV

Agora que você já sabe o que é custo do produto vendido e como calcular, você consegue fazer outras apurações e análises gerenciais que são bastante eficazes para o sucesso do seu negócio.

Um exemplo é o cálculo da margem de contribuição.

Ao entender a margem de contribuição do seu produto, você pode tomar decisões assertivas sobre o preço de venda, iniciativas de cross selling e até mesmo definir estratégias de marketing focadas em algum produto específico.

Se você trabalha com o gerenciamento e uma contabilidade de custos, você consegue antecipar possíveis dificuldades, tomando ações para driblar os períodos de crise.

Por exemplo: ao conhecer o CPV dos seus produtos, você tem mais condições de avaliar se o preço de venda está adequado para que você alcance os resultados desejados.

A partir do CPV, também, você sabe quais produtos têm maiores ou menores custos, mais ou menos estoque, maior ou menor margem de lucro. Com isso, pode criar campanhas promocionais e outras iniciativas para aumentar o seu faturamento.

Uma dessas estratégias é o cross selling, quando você oferece algum benefício para uma compra em conjunto de mais de um produto.

Ao oferecer dois produtos ao mesmo tempo, com cuidado para escolher produtos com baixo custo de produção ou produtos parados em estoque, você aumenta o seu ticket médio.

Além disso, pode resolver um problema de estoque, agregando valor ao produto ao invés de, simplesmente, “dar desconto”.

Dicas para controlar o CPV

Contador em frente ao seu notebook em um escritório fazendo cálculo CPV

CPV é um indicador que deve ser apurado e gerenciado com frequência, permitindo uma rápida tomada de decisão.

O custo do produto vendido, apesar de ser um indicador legal, obrigatório no DRE, é uma informação útil para uma boa gestão da sua empresa.

Assim como qualquer outro indicador de performance, precisa ser constantemente acompanhado. Dessa forma, é possível antecipar riscos e tomar decisões assertivas.

Para ajudá-lo na tarefa de controlar o CPV dos seus produtos, separamos 5 dicas para você. Confira:

#Dica 01: Mantenha um controle de tarefas

É fato: pessoas habituadas a criarem listas de tarefas para gerenciamento costumam produzir melhor. Isso porque você tem claro tudo que precisa ser feito, em que período e com qual frequência.

Dessa forma, consegue organizar seu dia a dia para cumprir as atividades no tempo certo, e evita de ter alguma caindo no esquecimento!

#Dica 02:Otimize sua gestão de estoque

Fazer um bom gerenciamento de estoque evita que você tenha muito produto parado, o que representa despesa.

Para isso, otimizar algumas funções e processos faz todo sentido. Assim, você consegue visualizar as informações de forma mais ágil, evita que algum processo deixe de ser realizado por falta de tempo, e ainda reduz os riscos de erros.

Um software de automação de gestão de estoque é uma excelente opção para empresas de qualquer segmento e todos os portes.

Conheça o módulo de Estoque do ERP BomControle agora mesmo!

#Dica 03:Otimize a gestão de compras

Uma ideia é você criar um calendário para as compras com seus fornecedores, criando uma sistematização do processo de reposição.

Assim, você evita perder o controle das compras, cria rotinas para pagamentos e recebimentos, atualiza seu inventário e mantém tudo em ordem!

#Dica 04:Treine suas equipes

Se você optar por um software que automatize processos e facilite o acesso e controle das suas informações gerenciais, sua equipe precisa estar alinhada.

De nada adianta ter um ERP completo e poderoso, se as pessoas que precisam utilizá-lo não entenderem a importância ou a capacidade de entrega desse sistema?

Treine todo mundo que puder fazer uso do sistema escolhido, explique os riscos de uma gestão equivocada e faça uma implementação gradativa, conhecendo e trabalhando com o gerenciamento de expectativas das pessoas.

#Dica 05:Utilize um sistema de gestão integrada

Como já mencionado nas outras dicas, um bom sistema de gestão integrada é a chave para um gerenciamento de sucesso.

O sistema diminui muito o risco de erro, que é bastante normal de acontecer se todo o processo for exclusivamente humano.

Com a automatização e gestão através de um ERP integrado, você tem mais garantia da confiabilidade das suas informações.

E isso tem grande valor: você precisa tomar decisões estratégias o tempo todo. Por isso, elas precisam estar embasadas em informações verdadeiras e confiáveis.

Com o ERP BomControle você conta com diversos módulos que automatizam e controle inúmeros processos. O módulo Financeiro é essencial para sua gestão de CPV, margem de contribuição e muito mais!

Download: Modelo de orçamento do custo dos produtos vendidos

Se nem com as dicas você está seguro para apurar o custo dos produtos vendidos e melhorar o gerenciamento da sua empresa, temos uma coisa boa para falar:

Preparamos um modelo de orçamento do CPV, para ajudá-lo a apurar essa informação.

Conclusão

Contadora fazendo cálculo de CPV em seu escritório

O CPV é indicador importante para apuração do DRE e gerenciamento de qualquer empresa.

O custo do produto vendido é uma informação de extrema importância para todo gestor que pretende obter lucro na sua operação.

Sem esse entendimento, é muito arriscado tomar decisões, desde o preço de venda até outras estratégias ou iniciativas comerciais e administrativas.

Você precisa conhecer o CPV para, então, buscar identificar oportunidades de melhoria, crescimento de faturamento ou redução de custos.

Com o ERP BomControle você automatiza seus processos e garante informações confiáveis para sua tomada de decisão. Assim, tem muito mais chance de obter um resultado positivo, gerando lucro para o seu negócio.

Notebook com a tela aberta no teste grátis do software da BomControle.