5 erros que você pode estar cometendo na gestão financeira da sua empresa

Realizar uma gestão financeira eficiente é fundamental para o crescimento dos negócios e pode ser a chave para que uma organização seja bem ou mal sucedida.

Normalmente, um gestor financeiro trabalha com muitos bancos e utiliza diferentes processos para realizar suas tarefas. Por isso, é importante manter a organização do setor em dia, de modo que os relatórios financeiros sejam emitidos de forma rápida e eficiente.

Neste artigo, vamos mostrar para você quais são os 5 erros mais comuns na gestão financeira de uma empresa, explicando como evitar cada um deles. Continue a leitura e confira!

1. Misturar as finanças pessoais e da empresa

Esta é uma falha extremamente comum em muitas empresas. Esse erro ocorre principalmente quando o dono ou algum familiar controla as finanças do negócio. Quando a gestão financeira é feita pelo empreendedor ou alguém da sua família, a tendência de misturar as finanças pessoais é maior.

As contas feitas como pessoas físicas acabam sendo pagas junto às contas da pessoa jurídica diretamente da conta corrente da empresa. Mas essa atitude é muito perigosa, pois acaba por onerar muito o fluxo de caixa da organização.

A consequência disso é o sério comprometimento da operação do negócio, pois com o fluxo do caixa desestruturado, todo o funcionamento da empresa será afetado. Isso acontece por conta do desequilíbrio do capital de giro.

Caso faltem recursos para suprir as necessidades do ciclo operacional da empresa, a solução será recorrer ao capital de terceiros, algo não recomendado quando pode ser evitado. Por isso, especialistas indicam que seja estabelecido um pró-labore e que esses ganhos sejam respeitados.

2. Não elaborar um planejamento financeiro

Muitos empresários cometem o grande erro de não fazer um planejamento financeiro para o seu empreendimento. Mas essa não deve ser considerada como só mais uma tarefa a ser feita dentro da empresa.

O empreendedor ou o responsável pela gestão financeira deve considerar isso como uma obrigação. Afinal, o planejamento financeiro é a mola propulsora de um negócio.

Para tanto, é preciso que objetivos, metas e o orçamento para cada setor sejam definidos. Outro item do planejamento financeiro são as projeções anuais que precisam ser realizadas. Dessa forma, os tomadores de decisão saberão qual o caminho a seguir, favorecendo o crescimento da empresa e sua sobrevivência no mercado.

Saber para onde ir é fundamental para que uma empresa mantenha suas portas abertas. Afinal, quando não se sabe que trilha tomar, qualquer lugar serve. E esse lugar qualquer pode acabar sendo o encerramento das atividades do negócio.

 

Uma empresa precisa de dinheiro para funcionar. Portanto, podemos afirmar que qualquer empreendimento depende da entrada de recursos financeiros para manter a execução das suas atividades sem maiores problemas.

Justamente por esse motivo é que desconsiderar a inadimplência do planejamento financeiro é algo que coloca a empresa em sérios riscos. Não há como estabelecer metas e objetivos sem que os recursos que estão em posse de terceiros sejam considerados.

Um empreendimento precisa que entre dinheiro em caixa para suas despesas operacionais, suas contas a pagar, seus custos de produção e demais itens que fazem parte do funcionamento do negócio. Isso inclui o pró-labore do empreendedor, pois se o caixa não tiver recursos entrando, não apresentará lucro e faltará dinheiro para todo o ciclo produtivo.

Para que a inadimplência não comprometa o funcionamento da empresa, é preciso que estratégias de controle relacionadas às cobranças sejam estabelecidas. Procure definir uma taxa de inadimplência que esteja de acordo com a realidade do seu negócio. Vale lembrar que essa taxa também deve estar consoante com a situação da economia brasileira.

4. Não ter um fluxo de caixa projetado

Além de todas as despesas do dia e que estão por vir amanhã, também é muito importante realizar a projeção do que precisará ser pago nos próximos meses, bem como saber quais são as receitas que estão previstas para entrar em caixa nesse mesmo período.

Dessa forma, por meio de um fluxo de caixa projetado, fica viável organizar um planejamento a longo prazo para a empresa. O gestor financeiro também deverá realizar uma comparação entre o que foi projetado e o que foi realmente efetivado.

Esse acompanhamento será a base para um estudo que deverá analisar quais foram as razões que as coisas saíram conforme o que foi planejado ou não. Com isso, a diretoria terá as ferramentas necessárias para traçar as estratégias corretas, que direcionarão os rumos do negócio nos meses seguintes.

5. Não utilizar um software de gestão para auxiliá-lo

Automatizar os processos do departamento financeiro ao máximo é fundamental para gestores que precisam disponibilizar os relatórios financeiros para a diretoria de forma rápida, compilada e precisa. Esses dados contribuem diretamente para melhorar as tomadas de decisões, impactando diretamente no crescimento da empresa.

Utilizar um sistema de gestão para auxiliá-lo na associação das informações financeiras com a contabilidade da empresa é importante para que as finanças sejam registradas de maneira correta e efetiva.

Um software de gestão, ao ser implantado na empresa, permite a integração do departamento financeiro com outras áreas, que o gestor tanto precisa. Além disso, ele permite o rápido acesso às rotinas do dia a dia, para pagar e receber títulos em aberto, conciliar contas e analisar fluxo de caixa. Todas essas funcionalidades ajudarão muito no trabalho de gerir os recursos do negócio.

Neste post, mostramos para você que misturar contas pessoais com as da pessoa jurídica não é nada saudável para o fluxo de caixa, impactando diretamente no capital de giro do negócio. Também falamos da importância de um planejamento financeiro bem elaborado para alavancar o crescimento da empresa.

Explicamos que uma taxa de inadimplência deve ser definida, em conjunto, com um acompanhamento das estratégias de cobrança, o que impactará diretamente no exercício de projeção do fluxo de caixa. Por fim, falamos sobre a grande relevância de contar com um software para auxílio na integração e acesso às informações do setor de finanças.

E você, tem alguma dica importante sobre algum erro na gestão financeira de uma empresa que deva ser evitado de qualquer forma pelos empreendedores? Deixe seu comentário aqui no post!

Publicado por Felix Schultz

Executivo de Internet com mais de 15 anos de experiência, incluindo a gestão geral das organizações, desenvolvimento de produtos, operações de negócios e estratégia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.